COMO FUNCIONA A PNME?

Após muito trabalho conjunto, os parceiros pioneiros chegaram a um desenho inicial da Plataforma que garante, ao mesmo tempo, flexibilidade e robustez. A liderança e o planejamento estratégico da plataforma são responsabilidade de um Conselho Gestor, em que as demandas e temas dos membros são discutidas, priorizadas e direcionadas para a proposição de soluções concretas. 

O Conselho é formado por sete instituições, cada uma representando um coletivo de atores. Atualmente, fazem parte o Ministério da Economia (ME); o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR); a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE); a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI); o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); o Fórum de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana e a World Resources Institute (WRI).

Há também um Secretariado, responsável pela gestão da plataforma e organização das atividades. Para garantir a neutralidade de atuação e a transparência, o secretariado é composto por instituições que não são subordinadas ao governo, à indústria ou à academia: atualmente, a Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, o Instituto Clima e Sociedade (iCS) e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) combinam suas capacidades e competências para garantir o funcionamento da Plataforma. 

A PNME pode contar também com comissões para temas específicos. Atualmente, a Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) reúne nomes relevantes da pesquisa em mobilidade elétrica no Brasil para aconselhar tecnicamente o Conselho Gestor e garantir o alinhamento dos esforços de Pesquisa e Desenvolvimento da PNME. Articula-se já a criação de uma Comissão de Financiamento, que agregará instituições com potencial de alavancar soluções de financiamento, em estreita cooperação com o Conselho Gestor. 

Crédito: Nívea Ribeiro/GIZ

Grupos de Trabalho (GTs) são criados por iniciativa do Conselho Gestor para se debruçar sobre temas específicos, mobilizando atores relevantes para a entrega de produtos que contribuam para o avanço da mobilidade elétrica no Brasil. O primeiro destes GTs se concentra sobre questões pertinentes à eletrificação do transporte urbano e busca, dentre outras coisas, propor uma agenda comum aos principais municípios que já possuem pilotos operando no país. 

Finalmente, a PNME conta com uma variedade de parceiros estratégicos nacionais e internacionais que se mobilizam para viabilizar estudos, capacitações, visitas técnicas e o próprio funcionamento da PNME conforme seus respectivos mandatos e capacidades. 

Impulsionando toda a estrutura – e dando à Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica sua própria razão de existir – gravitam  uma enorme variedade de membros da indústria, governo, academia e sociedade civil que encontram na PNME um canal eficaz para alcançar não apenas suas agendas individuais, mas para contribuir para que o Brasil cumpra sua vocação de se tornar um hotspot da mobilidade elétrica no mundo. 

  • Notícias